Consultor de Investimentos e Agente Autônomo de Investimentos

Consultor de Investimentos CVM e o Agente Autônomo de Investimentos

Você tem ideia do que significa um agente autônomo de investimentos? E um consultor de investimentos CVM? Qual a diferença entre esses profissionais e como eles atuam no mercado? Se essas são as suas dúvidas, você está lendo o artigo certo.

Neste post, você irá compreender o que faz um agente autônomo de investimentos e qual a função de um consultor de investimentos CVM. Iremos explicar as principais dúvidas com relação as atividades desses profissionais.

Fora isso, também iremos mostrar como o mercado de finanças está diretamente relacionado com eles. Certamente, se você está lendo este artigo, é porque você tem interesses por realizar investimentos.

E óbvio que você quer contar com o profissional correto para auxiliar você com relação as suas finanças. O conteúdo deste artigo vai ajudar você a entender qual desses dois profissionais atendem melhor suas necessidades. Prossiga acompanhando. Boa leitura!

O que faz um consultor de investimentos CVM?

Um consultor de investimentos CVM tem a função de ajudar investidores que estão interessados em realizar aplicações diretamente do mercado. O profissional conta com todos os conhecimentos técnicos e práticos para assessorar os seus clientes.

Dessa forma, ele poderá, com base no perfil do investidor, traçar um caminho que melhor atenda suas metas e necessidades pessoais. Vale ressaltar que os consultores precisam ser credenciados na CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Afinal, o consultor de investimentos CVM precisa ser um profissional com todo o conhecimento necessário no ramo de finanças. Por que? Simples. Antes do consultor indicar os produtos financeiros, é necessário que ele faça uma avaliação.

Essa avaliação vai servir para que ele saiba qual o perfil do seu cliente. Com base nesse perfil, o consultor tem como direcioná-lo para o melhor produto. Aquele que melhor irá atender as suas metas e necessidades do momento.

Basicamente, o consultor de investimentos CVM vai oferecer uma solução personalizada para o seu cliente. Isso facilitará para que o cliente trilhe o melhor caminho para lucrar com os investimentos escolhidos.

E o agente autônomo de investimentos?

Esse profissional deve possuir uma ligação com  uma instituição financeira. Basicamente, o agente autônomo de investimentos representa uma empresa que distribui investimentos.

Ele possui a função de prospectar e captar novos clientes. É ele que irá todas as dúvidas dos clientes com relação aos produtos financeiros que ele comercializa. Diretamente, os seus clientes não pagam nada com isso.

Isso acontece porque o agente autônomo de investimentos recebem uma comissão de todos os produtos que eles conseguem comercializar. Vale ressaltar que, com base na norma, o agente autônomo não pode prestar consultorias.

Caso ele faça esse trabalho, fica subentendido que há um conflito de interesses, uma vez que ele recebe comissão por cada produto financeiro comercializado.

Em resumo, o agente autônomo de investimentos vai atuar de forma a aproximar a empresa em que ele trabalha do seu cliente final. Abaixo você confere as principais funções de um agente autônomo de investimentos:

  • Prospectar e captar novos clientes;
  • Recepcionar e anotar as ordens, repassando essas ordens para os programas de negociação, de acordo com o regulamento vigente;
  • Direcionar o cliente sobre os produtos que ele comercializa e sobre os serviços que a instituição de valores mobiliários em que ele atua presta para clientes.

Com base no que foi dito, o agente autônomo de investimentos trabalha como um vendedor. Ele tem a função de oferecer, explicar as características do produto financeiro e vende-lo para o cliente.

Qual a diferença entre um consultor de investimentos CVM e um agente autônomo de investimentos?

Inicialmente, você pode até pensar que esses dois profissionais possuem cargos bem parecidos. Porém, não é bem assim que funciona. Há algumas diferenças que merecem ser explicadas com relação a essas duas funções.

O agente autônomo de investimentos tem como função principal a de vender os seus produtos financeiros. Já o consultor de investimentos CVM irá fazer uma consultoria individual com base nas necessidades dos clientes.

O consultor de investimentos CVM irá montar um plano de ação com base no perfil do cliente e nas suas necessidades atuais. O agente autônomo de investimentos não faz isso. Ele apenas tira dúvidas e vende o produto financeiro que ele tem disponível.

O trabalho do consultor de investimentos CVM é personalizado, se comparado com o trabalho do agente autônomo de investimentos. Afinal, ele faz uma avaliação com base no cliente em questão.

Além disso, o agente autônomo de investimentos ganha comissão por cada venda realizada. Por causa disso, pode ocorrer desses agentes não direcionarem seus clientes para a opção mais acertada. Afinal, o foco deles é a venda.

Já o consultor de investimentos CVM não recebe comissão. Por conta disso, subentende-se que ele vai oferecer para o cliente a melhor solução, com base no seu perfil e nas suas metas pessoais.

Em resumo, contratar um consultor de investimentos CVM vai permitir que você tenha um atendimento mais personalizado e direcionado para seus objetivos sem conflito de interesses.

Leave a Comment